Austrália converte cervejas não vendidas durante a pandemia em energia

Se um dia a expressão “fazer do limão, limonada” não fez sentido, a Austrália teve uma ideia para ilustrar 100% o significado da frase. Acontece que o pequeno país da Oceania transformou litros e litros de cervejas que não foram vendidas durante a quarentena em uma quantidade recorde de energia renovável. Sim, na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma.

A gente explica: devido à pandemia causada pelo coronavírus, os bares do país estão fechados desde março e cerca de 40 mil galões de cerveja acabaram estragando no período. Em vez de jogar todo o líquido fora, os estabelecimentos da cidade de Adelaide doaram tudinho para uma usina de tratamento de águas local, onde foi produzido, então, uma quantidade enorme de biogás graças ao alto teor alcoólico da bebida.

De acordo com os responsáveis pela Glenelg Wastewater Treatment Plant, administrado pelo governo do sul da Austrália, cerca de 80% da energia produzida anteriormente pela usina vinha de lixo orgânico industrial e de tratamento de esgoto e, a partir da cerveja vencida dos bares fechados, a produção de energia local alcançou níveis de energia nunca antes produzidos.

Segundo levantamentos, a adição semanal de cerca de 150 mil litros de cerveja à usina geraram o recorde de 155.200 metros cúbicos de biogás no mês de maio, e mais 320 mil metros cúbicos em junho, capaz de abastecer 1.200 casas de região. “E como nossa sagrada brejinha impulsionou tanto os números?”, você pode estar se perguntando. A criação do gás renovável, basicamente, se dá por meio da decomposição natural de resíduos orgânicos e lodo de esgoto, e bebida serviu como um acelerador de todo o processo.

No Brasil, a startup gaúcha Luming Inteligência, em parceria com a Ambev, está testando o aproveitamento de biogás gerado na produção de cerveja desde o início do ano. Vai, planeta! Que iniciativas como essa continuem se espalhando pelo mundo. #IntoTheIndoors

 

Fonte: https://www.hypeness.com.br

×

Olá

Clique no nome do atendente para tirar suas dúvidas ou envie um email para:  [email protected]

×